Auditório para desconstruir tabus com Élle Bernardini

Os corpos transexuais e de gênero não-binário são lidos pela sociedade de maneira abjeta, indecente, depravada. Corpos que só servem para a sujeira e prevaricação. Nessa roda de conversa, a artista transexual Élle de Bernardini, que participa da Residência Adelina, convida para um debate a respeito das dissidências de gênero, da transexualidade e das relações desta com a história da arte. O auditório é aberto a todos os públicos e pessoas que tenham dúvidas, questões e interesse em debater e discutir as questões de gênero e transexualidade.

PARA QUEM É ESTA ATIVIDADE?

Essa atividade faz parte da formação de plateia da Residência Adelina e é voltada a adultos e jovens a partir de 16 anos.

SOBRE A ARTISTA

Élle de Bernardini (Brasil, 1991), artista visual, bailarina e butoka. Define-se como uma pessoa transexual de gênero não-binário. Desenvolve pesquisa visual e textual com ênfase na história da sexualidade, biopolítica, e filosofia de gênero. É formada em Ballet Clássico pela Royal Academy of Dance de Londres. Foi aluna dos mestres de Butô japoneses, Yoshito Ohno e Tadashi Endo. E atualmente cursa Filosofia Bacharelado na Universidade Federal de Santa Maria.

INFORMAÇÕES:          

Data: 16/08 (quinta-feira), às 19h.

Local e endereço:  Instituto Adelina (Rua Cardoso de Almeida, 1372, Perdizes).

Classificação: 16 anos.

Entrada gratuita.

Vagas limitadas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *